VIOLÊNCIA doméstica: busque ajuda enquanto há tempo

Livre-se do abusador e não seja a próxima vítima

0
1887
Emerson Figueiredo matou Nathália Paixão a facadas
Nathália Paixão é mais uma mulher brasileira vítima da violência doméstica

O enredo da morte de Nathália Paixão a facadas pelas mãos de seu marido Emerson Figueiredo é por demais conhecido. Uma vítima indefesa, um homem alucinado por qualquer razão e o desfecho é mais uma morte violenta de uma mulher, neste caso uma brasileira. A morte de Nathália é a terceira nos últimos meses – Telma Brás em Stoughton no dia 3 de maio e Cleucilene Alves da Silva no dia 31 de maio em Worcester, e agora o de Nathália, no domingo, 28 em Concord, New Hampshire.

A pergunta que se faz é até quando ou quantas mulheres mais terão de morrer nas mãos de homens transtornados que resolvem diferenças com suas mulheres e parceiras na violência e na força bruta?

Nas agências e entidades que ajudam e auxiliam mulheres que são vítimas de violência doméstica, as histórias de acumulam aos milhares e é preciso coragem e destemor para buscar ajuda para se livrar do ciclo pernicioso das agressões, da pancadaria, da força bruta e de tudo aquilo que serve para humilhar e diminuir a mulher diante da sociedade.

Milhares de mulheres e também homens, sofrem calados por causa da violência doméstica e do abuso emocional. Religião também não é álibi para evitar violência doméstica, já que tanto Nathália quanto Emerson eram tidos como religiosos e isto não evitou mais uma tragédia.

Para obter ajuda contra a violência doméstica e o abuso emocional no Estado de Massachusetts, clique aqui.

Recomendações
– Leve a sério todas as ameaças que ex-companheiros, maridos, namorados fizerem;
– Junte provas como mensagens de texto, e-mails e busque orientação legal para gravar ameaças telefônicas;
– Busque ajuda se sentir que sua integridade física e emocional estiver ameaçada
– Peça às autoridades uma restraining order;
– Não se intimide com ameaças e tentativas de agressão; denuncie quem faz isto;
– Nunca retalie ou use de força para responder a qualquer agressão física, verbal e/ou psicológica;
– Não importa a sua condição ou status imigratório; você têm direitos;
– Busque conselho legal sobre como se livrar dos abusos

Abuso emocional
O abuso emocional pode se caracterizar de diversas formas e modos. Um deles é a humilhação constante do cônjuge, namorado/a ou companheiro/a. Pode envolver questões financeiras e comportamental. O assédio moral é uma das características de abusadores emocionais que agem sempre no sentido de diminuir a outra pessoa.
– Falas pejorativas como: ‘Você é gorda’; ‘Você é uma porca’; ‘Preguiçosa’; ‘Fracassado’; ‘Incapaz’
– Diminuição moral da esposa/o na frente dos filhos e dos amigos;
– Apelidos e nomes depreciativos;
– Chacotas e exposição a situações constrangedoras;
– ‘Lugar de mulher é na cozinha’; ‘Mulher só serve para lavar roupa’; ‘Toda mulher é burra’, etc;
– Menosprezo pelas qualidades e conquistas da/o outra/o pessoa;
– Quando confrontados/as dizem que tudo é brincadeira;
– Busque ajuda para se livrar do abusador/a emocional

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here