SÉRIE especial: Natalicia Tracy – de babá a professora universitária

Sétima reportagem especial alusiva ao 'Dia Internacional da Mulher': Natalicia Tracy

0
2920

O blog vai publicar até o dia 10 de março uma reportagem por dia contando a história de uma mulher por ocasião do Dia Internacional da Mulher. A reportagem de hoje é sobre Natalicia Tracy, diretora executiva do Centro do Trabalhador Brasileiro, ativista pelos direitos do trabalhadores e com uma trajetória de vida que começou como babá e hoje é uma conceituada professora universitária.

Natalicia é ‘Doctor of Philosophy – Sociology Ph.D

Anos atrás, o Centro do Trabalhador Brasileiro passou por uma profunda crise diretiva e administrativa que quase provocou o fechamento das suas portas. O então diretor executivo da entidade envolveu-se numa série de polêmicas que assustou e afugentou as fundações que destinavam verbas para a entidade. Diretores, colaboradores e voluntários se afastaram do CTB e o destino parecia mesmo ser o encerramento das atividades.

Foi quando surgiu no cenário um grupo de pessoas que decidiram arregaçar as mangas, trabalhar arduamente, as vezes pagando despesas do próprio bolso e resgataram a dignidade e histórico de lutas e combatividade em favor do trabalhador imigrante brasileiro.

Entre estas pessoas estava Maria Natalícia Tracy, dona de uma história de vida de luta e superação que foi escolhida como diretora executiva do Centro do Trabalhador Brasileiro e que passados estes anos, pode-se dizer que recolocou o CTB no lugar de onde jamais deveria ter saído. Incansável quando se trata de lutar pelos direitos dos trabalhadores tanto em Massachusetts, ou batendo nas portas dos políticos e autoridades em âmbito federal, Natalícia começou a sua jornada na América trabalhando como babá, galgou por seus esforços e méritos os passos e construir uma nova história.

Quando Natalicia chegou aos Estados Unidos há 24 anos para trabalhar como baby sitter, não tinha completado o ensino médio e falava poucas palavras em inglês. Ficou três anos indocumentada, pois os patrões que a haviam trazido do Brasil deixaram o seu visto vencer, além de ter condições precárias de trabalho, fazendo todo o serviço doméstico e dormindo em uma varanda fechada e de piso de cimento rústico, sem contar que quando ficava doente, seus patrões não a levavam ao médico e mesmo assim, superou as dificuldades e barreiras com estudo, esforço e dedicação. Decidida a ficar depois que os patrões foram embora, continuou os seus estudos, graduou-se em psicologia e sociologia, concluiu um mestrado, e é professora acadêmica de Sociologia na Universidade de Massachusetts, em Boston, onde ensina Raça e Etnia, História Racial dos Estados Unidos, Sociologia da Família, e Metodologia de Pesquisa da Ciência Social.

No domingo, 15 de maio de 2016, todos os seus esforços e lutas foram concluídos com a diplomação na Boston University, onde tornou-se a Dr. Tracy, diante de uma plateia onde estava D. Maria Tereza Silva, sua mãe que então tinha 82 anos que veio do Brasil especialmente para a data.

Em abril de 2017, Natalicia recebeu o Prêmio
‘Faz a Diferença’, do jornal O Globo

“Para mim, foi uma vitória, não só minha mas para muitas pessoas como eu, mulher, preta, imigrante e o inglês como segunda língua. Inglês que aprendi quase sozinha. Uma lição de vida, de que nada é impossível. Espero inspirar outras pessoas. Pretendo usar os meus estudos para desenvolver mais programas comunitários para beneficiar membros da nossa comunidade. Este diploma de doutorado parece um sonho, quando olho para trás, o meu passado, como a jornada se iniciou aqui em Boston, eu era uma babá, com nível educacional de oitava série, não falava inglês, sem família e sem apoio, em condições desesperadoras, e hoje doutorada, com diploma de uma universidade de grande conceito. Estou feliz que o nosso trabalho no Centro tem tido sucesso e eu sendo reconhecida no país todo pelo meu trabalho comunitário e acadêmico. Sou muito grata a Deus, e aos meus pais pelos ensinamentos e os valores que me passaram. Agradeço o apoio de todos”, afirma Natalicia, que obteve o título de ‘Doctor of Philosophy – Sociology, Boston University – Graduate School of Arts and Sciences.

“A mensagem que gostaria de deixar a todos é: nunca esqueça que somos todos seres humanos, temos necessidades, talentos, fragilidades, mas somos fortes. Todos nós temos o poder de criar mudanças sociais que beneficiarão a todos. Todos nós somos afetados pela nossas ações e é importante reconhecer e apoiar às pessoas dedicadas que trabalham duro para o benefício de todos. Todos têm a capacidade de aprender e crescer, basta ter a vontade!”, finaliza.

Natalicia é mãe de Matthew, que é voluntário no CTB e universitário. Fotos: acervo particular

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here