Roubo de salários: ‘O patrão me denunciou para o ICE e o deportado foi ele’

0
67

Constantemente os bazares e grupos no Facebook de brasileiros nos Estados Unidos trazem reclamações de pessoas que trabalharam, não recebem e ainda sofrem ameaças de que sernao delatados para a Imigração. Por causa disto alguns colocam fotos, endereços e telefones de quem supostamente lhes deve. Sabe-se que em alguns casos o que é relatado não corresponde com a realidade e a coisa toma ares de calúnia e difamação.

Quem usa este recurso as vezes não se dá conta de que há outros meios para receber o que lhes é devido, porém, quem opta pela exposição pública pode até incorrer em crime, pois via de regra não há nenhum espaço para o contraditório, pois poucos são os grupos e bazares que moderam as postagens ou ouve o outro lado.

O blog ouviu o relato de Juliano, que trabalhou para um sub-contractor que ficou devendo salários e recebeu quando cobrou diante da família do homem que chamaremos de Rafael. O resultado foi desastroso, pois Rafael ficou furioso, trocaram agressões físicas, um carro foi vandalizado, ferramentas foram roubadas e o caso acabou na polícia que ao levantar o status de quem descambou para a agressão, constatou que Rafael era procurado pelo ICE e acabou deportado por causa disto.

Juliano mora nos Estados Unidos há 12 anos e atualmente trabalha na construção civil, onde faz dinheiro com alguns trabalha específicos. “Nós últimos cinco anos não me falta trabalho, graças a Deus. Fiz boas amizades e tenho o respeito de todos com quem já trabalhei”, diz ele.

“No mês de agosto do ano passado, um amigo me ligou dizendo que um cara chamado Rafael que ele conhecia tinha um grande trabalho para fazer e fui lá conversar com ele. Quando soube quem era, fiquei preocupado pois a fama do sujeito não era das melhores, mas como meu amigo já estava trabalhando para ele há algum tempo resolvi confiar. Nos dois primeiros meses recebi tranquilo, mas depois começaram os problemas e parei de trabalhar quando ele não me pagou. Ficou uns US$ 1,6 mil pendentes só comigo. Insisti, ele me bloqueou no WhatsApp, no celular e no Facebook. Eu até podia deixar para lá, mas o sujeito cara de pau começou a falar mal do meu trabalho e consegui localizar ele. Peguei o cara saindo de casa com a família e aí deu o que não presta. Ele me xingou, esbravejou mas pagou depois da vergonha pela qual passou. Uns dias depois na saída de um restaurante o Rafael me tocaiou e me agrediu e eu respondi e ele levou a pior. Disse que ia me entregar para a Imigração. Uma semana depois os pneus do carro da minha namorada foram furados a noite. Na realidade foram rasgados com faca. Um amigo meu me disse que o Rafael estava falando que ia me denunciar para a Imigração por eu tê-lo cobrado diante da família dele. Numa manhã, meu carro de trabalho apareceu vandalizado e umas ferramentas que tinha foram roubadas. O meu vizinho tem uma câmara que filmou tudo e era o Rafael que havia trabalhado que havia feito aquele estrago todo. Peguei as imagens e fui na polícia e dei o nome dele. Resultado, eles constataram que ele era procurado pelo ICE, inclusive por reentrada ilegal depois de ter sido deportado anteriormente e o resultado é que hoje ele está no Brasil, ou seja, ele me armou uma arapuca e foi ele quem caiu nela. Claro que não me sinto bem com toda esta situação, mas só queria receber o que era meu por direito pois havia trabalhado. Isto me mostra o quanto somos vulneráveis, pois estamos sempre nas mãos de pessoas más e complicadas que querem sempre nos enrolar e tapear. Talvez ele não tenha gostado de ser cobrado na frente da família dele, mas isto é problema que ele mesmo arrumou, que me pagasse e aos outros que trabalharam e não receberam. Depois me agrediu e me roubou e não tenho nada a ver com os problemas dele com a Imigração. Quer saber? Ele já foi tarde mesmo, só lamento pela família dele que vai sofrer as consequências. Todos os dias eu ouço de gente que trabalha com dureza, não recebe e ainda é ameaçado por estes picaretas de ser denunciados para a Imigração”, finaliza Juliano.

Os nomes reais de ambos foram omitidos.

Dicas
– Se trabalhou e não recebeu procure um advogado especializado para cobrar o que você tem direito
– Entidades mantém ajuda quem foi vítima de roubo de salários. Para saber mais, clique aqui
– O Centro do Trabalhador Brasileiro e a Procuradoria-Geral do Estado oferecem ajuda a quem sofreu roubo de salários
– Nunca exponha ninguém nas redes sociais
– Não ameace ou coaja quem quer que seja, mesmo que tenha sido prejudicado. Busque ajuda legal
– Quem trabalhou tem o direito de receber
– Anote tudo o que se refere a horas e dias trabalhados, pois servirão como prova
– Se alguém trabalhou para você, seja digno e pague o que é de direito

Imagens meramente ilustrativas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here