PARALEGAL Marinalva Harris e advogado Maroun são processados pelo Estado

Marinalva Harris, o advogado George C. Maroun Jr., e o Maroun Law Firm estão sendo processados pelo Estado de Massachusetts por práticas inadequadas do direito de imigração

8
24770
Postagem do dia 14 de fevereiro
que teria sido feita pelo advogado
George C. Maroun Jr. 

O escritório da Procuradora-Geral de Massachusetts, Maura Healey, processou judicialmente na Middlesex Superior Court o advogado de imigração George C. Maroun, Jr.,  seu escritório Maroun Law Firm, e a assistente legal, a brasileira Marinalva Harris (foto da capa e de compartilhamento).

O processo alega que desde 2013 Marinalva, o advogado Maroun e seu escritório vêm explorando imigrantes no Estado de Massachusetts em busca de serviços legais de imigração. Segundo a Procuradoria, o advogado e sua assistente cobram valores exorbitantes dos clientes dando falsas garantias em seus processos, enganando os clientes, e os ameaçando com deportação.

Postagem do dia 14 de fevereiro
que teria sido feita pelo advogado
George C. Maroun Jr. 

Na quinta-feira, 22, o juiz Edward P. Leibensperger, emitiu uma decisão preliminar (preliminary injunction order) proibindo Marinalva Harris e o escritório de apresentá-la como advogada, e de dar falsas garantias aos clientes de que seus processos imigratórios serão bem sucedidos.

Os acusados também estão proibidos de fazer ameaças de deportação contra seus clientes que abriram o processo junto ao estado, intimidá-los, e ainda proibidos de enviar os dados dos clientes para as autoridades de Imigração.

George C. Maroun, Jr. trabalha na região da Grande Boston e tem escritórios também em Methuen e Stoneham. Desde janeiro de 2013, segundo a acusação do Estado, Maroun enviou centenas de processos e petições à Imigração para mais de 1.000 clientes residentes de Massachusetts, em sua maioria brasileiros e com limitada fluência no inglês.

O processo contra o advogado e sua assistente brasileira alega que Maroun e Harris tinham como foco brasileiros indocumentados que vivem em Massachusetts. Os então clientes assinavam contrato com o escritório através de Marinalva Harris, que tem dupla nacionalidade – brasileira e americana – e fala português, mas não é advogada.

A Procuradoria alega no processo contra o advogado e sua assistente 
– Marinalva Harris mentia para os clientes dizendo que era advogada com especialidade em leis de Imigração;
– Maroun e Harris davam falsas garantias aos clientes sobre o resultado positivo de suas petições, incluindo a promessa que conseguiriam o green card ou outros status legais. Os clientes costumavam pagar valores exorbitantes, e geralmente em “cash” logo no início do processo;
– O advogado e sua assistente ameaçavam os clientes com deportação caso eles não fossem pagos, se trocassem de advogados, ou os denunciassem para as autoridades;
– O processo alega ainda que eles enviavam falsas informações sobre seus clientes para as autoridades imigratórias, colocando-os em perigo e com risco de deportação.

O Estado de Massachusetts pede à Justiça restituição aos clientes, penalidades civil, e a proibição permanente da habilidade dos acusados praticarem trabalhos jurídicos de imigração em Massachusetts.

Quem foi representado em processos por Marinalva Harris, George Maroun Jr., e/ou o escritório Maroun Law Firm e se sentiu lesado, prejudicado ou enganado, deve fazer contato com a Divisão de Direitos Civis da Procuradora-Geral do Estado de Massachusetts no telefone 617.963-2917 – atendimento em português e espanhol.

Um e-mail foi enviado via contato do site do escritório e nos respectivos e-mails para Marinalva Harris, George C. Maroun Jr, e o Maroun Law Firm com perguntas pertinentes ao processo que corre contra eles, e se houver respostas por escrito elas serão publicadas nesta reportagem.

O blog teve acesso à decisão original do juiz Edward P. Leibensperger.

Foto: reprodução das redes sociais

8 COMENTÁRIOS

  1. Eu já estive lá. Ela sempre falou pra mim que ela era paralegal. Inclusive nas vezes que fui lá ela nunca atendeu sozinha e sempre com o advogado ao lado

  2. Eu fui cliente, fui cobrado valores exorbitantes por falsas promessas, nao obtive resultado e ainda humilhado pela secretaria. Com certeza se depender de mim quero que o diploma deles seja cassado, sao verdadeira máfia. Mas a justiça divina nunca falha, ai esta a prova.

  3. Finalmente chegou a hora deles, estao fazendo isso ha muito tempo e ela sempre se passou por advogada. Naquela arrogancia toda falava para todos que era advogada. Sao pessoas ruims e tiram vantagem das pessoas precisando de ajuda. Espero que a justica nunca mais deixa eles trabalhar nessa area. O mundo da voltas ….

  4. Ela me disse que era advogada e que tinha conexao na imigracao la de burlington. Tambem me cobrou o olho da cara e nao deu certo. Quero meu dinheiro de volta….

  5. Ola,a mais ou menos 3 anos eu estive lá,marquei uma consulta com o advogado MAroun, mais quem me atendeu foi a Marinalva e sozinha, no primiro momento Eu achei estranho pq estava esperando um homem mais ela disse q ele não pode estar lá e ela iria me ajudar, ela me disse q trabalhava com imigração a um bom tempo, q tinha ido p faculdade aq e era advogada. Não fiquei mto confortável com oq ela me disse pois ela me deu certeza d conseguir o doc, a princípio fiquei contente mais depois me perguntei como assim “certeza”, algo dentro d mim não ficou em paz entao procurei um terceiro advogado, esse sim foi bem realista comigo sobre as chances de conseguir ou não conseguir. Marinalva cobrava uma fortuna, tipo “um pouco mais q o dobro” mais a justificativa e q eles ficavam em cima do processo e faziam acontecer. Well pra finalizar, ela passou informações minhas pessoais para um outro cliente dela,”eu sei q ela falou mesmo pq ela tinha essas informações” com muita revoltada com o acontecido até quis muito ligar e tirar satisfação com ela mais sem documento me senti acuada. E infelizmente eu não fui a única lesada de alguma forma por eles…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here