O histórico do homem que volta a fraudar a comunidade brasileira

0
368

Conhecido como “Jo de Hyannis” – Joarez Oliveira-Reis, tem feito petições de asilo para brasileiros mesmo nunca tendo se encontrado pessoalmente com os seus clientes. Reis cobra em média de US$ 6 mil até US$ 12 mil para dar entrada em um pedido de asilo sem nunca ter conversado a fundo para saber realmente se a vítima qualificaria para um asilo de verdade.

Muitas pessoas desde a Nova Inglaterra até o Sul da Flórida já foram fraudadas e se tornaram vítimas de Reis. Essa prática chegou ao conhecimento do escritório GARDINILAW que decidiu alertar a comunidade da prática fraudulenta. Depois que o advogado Ludo Gardini alertou as pessoas nas redes sociais, recebeu uma carta de ameaça, que não estava assinada e sem ter o remetente, carta esta que com o intuito de coagir a denúncia feita pelo advogado Ludo Gardini.

Felizmente, mesmo que o tempo passe, a reputação e ações das pessoas ficam registradas e não precisamos somente depender da memória. Reis não atende clientes em nenhum escritório, nunca encontra com seus clientes pessoalmente e sempre o faz por e-mail e telefone. Toda a transação é feita por e-mail, telefone e correio, Reis também não assina os pedidos de asilo para evitar que a fraude seja imputada para ele no futuro. O pedido de asilo é enviado como se a vítima tivesse preenchido os papéis por conta própria sem ajuda de ninguém, minimizando assim a exposição de Reis perante as autoridades americanas. Claramente ele aprendeu com seus erros do passado.

DOJ Joarez Reis
Press release do Department of Justice, que informa a prisão de Joarez Oliveira-Reis em junho de 2003

Acusações pesadas de fraudes que levaram Joarez Reis à prisão, em 2003, devem servir de alerta para a comunidade brasileira. Na ocasião, ele foi indiciado sob a acusação de 54 processos por fraude postal, fazendo declarações falsas e apresentando alegações falsas contra os Estados Unidos. O indiciamento ocorreu por conta de mentir ao IRS e ao Serviço de Imigração e Naturalização, de acordo com as autoridades.

A acusação alegou que Reis se apresentou como fornecedor de serviços de preparação de impostos e aplicação de imigração, atendendo clientes brasileiros, muitos dos quais não eram fluentes em inglês. Ele cobrava dos indivíduos uma taxa por ajudá-los a obter permissão para residir no país. Na realidade, ele forjava certificados de casamento que eram enviados para a Imigração, com o intuito de obter autorizações temporárias de trabalho para seus clientes, segundo a denúncia. Além disso, conforme as autoridades alegaram, ele enviou falsos avisos de mudança de endereço para que a documentação dos clientes fossem encaminhadas ao seu escritório e, assim, fazer crer que os serviços tinham sido pagos.

Em um esquema separado para fraudar o IRS e o Departamento de Receita de Massachusetts, Reis usou nomes de clientes e números de Social Security, sem o conhecimento dos mesmos, para apresentar falsas declarações de impostos buscando restituições. Usando suas próprias caixas de correios como os endereços enviando nos retornos, o acusado segurava os cheques de reembolso, de acordo com o indiciamento.

Ele foi preso no dia 24 de junho de 2003, na Flórida e removido para Massachusetts em uma data posterior para comparecer perante um Juiz sobre as acusações. Atualmente, Joarez Reis encontra-se em liberdade, vivendo em Hyannis, onde também está sendo acusado de fazer práticas condenáveis contra a comunidade brasileira.

O caso foi investigado por agentes especiais e investigadores da Polícia do Estado de Massachusetts, Serviço de Inspeção Postal dos EUA, Serviço de Receitas Internas, Investigação Criminal, Departamento de Imigração e Alfândega e Departamento de Receita de Massachusetts.

Para ler a publicação original clique aqui.

Imagens meramente ilustrativas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here