GOLPISTA brasileiro declara-se culpado por golpes em ATMs

O casal Kawamura instalava dispositivos em caixas eletrônicos para roubar dados de cartões de débito e de crédito

0
952
Alexandre Kawamura declarou-se culpado em oito acusações de fraude contra o sistema bancário
Karem e Alexandre aplicavam golpes contra o sistema bancário americano

O brasileiro Alexandre Kawamura, 43 anos, declarou-se culpado de duas acusações de uso de dispositivos ilegais para roubar dados e informações de cartões de débito e crédito; quatro por fabricar equipamentos e dispositivos ilegais para caixas eletrônicos e ATMs e outras duas acusações de roubo de identidade agravado. 

O juiz Leo T. Sorokin, da Corte Federal em Boston, agendou para o dia 17 de abril, a leitura da sentença de Kawamura que entrou nos Estados Unidos legalmente com visto de turista e estará sujeito a deportação após o cumprimento da sua sentença.

Alexandre agia em cumplicidade com sua esposa Karem Kawamura, que também foi presa, admitiu culpa e após o cumprimento da sua sentença foi deportada para o Brasil.  

O casal Kawamura chegou aos Estados Unidos em novembro de 2017 com vistos de turismo e receberam uma permanência de seis meses. Foram para o Texas onde Alexandre colocou dispositivos de clonagem em caixas eletrônicos em diversas cidades. Em janeiro de 2018, vieram para a área de Boston, Massachusetts, onde passaram a aplicar os seus golpes.

Hospedaram-se em um hotel em Chelsea, onde Karem registrou-se com o nome de ‘Sheyla Porto’, com o qual recebeu pelo menos duas encomendas do Brasil com equipamentos de clonagem. Alexandre alugou uma unidade de armazenamento em um storage em Everett, usando o nome de ‘Alex Justo’, onde guardava os equipamentos de clonagem de cartões. 

Entre os dias 24 de fevereiro e 15 de março, Alexandre instalou dispositivos de clonagem de cartões em ATMs do Eastern Bank em Saugus, Medford, Stoneham e Malden.

Ainda em março, no dia 16, o casal fez compras no Dick’s Sporting Goods em Medford e Alexandre usou um cartão de crédito com o nome de ‘Alex Justo’, para pagar as suas compras. O cartão continha informações de uma conta que havia sido clonada por ele. O casal Kawamura foi preso no dia 30 de março de 2018 em Stoneham e acusados de golpes contra o sistema bancário.

A sentença para os crimes de Alexandre prevê uma pena não superior a dez anos de prisão, três anos de liberdade condicional para o primeiro delito; 15 anos de prisão e três de liberdade condicional para o segundo delito e uma sentença obrigatória de dois anos de prisão que deve ser obrigatoriamente cumprida consecutivamente a qualquer outra sentença imposta e uma multa de até US$ 250 mil, para a terceira acusação. 

Fotos: arquivos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here