FUTEBOL brasileiro tem surto de covid-19

0
113
Futebol brasileiro na enfermaria

Frase
Devastado ao ouvir essa notícia, outra vida negra perdida mais uma vez. Ainda está acontecendo e temos que lutar para impedir que isso continue. Mandando todos os meus sentimentos e preces para você, Brasil. Descanse em paz, João Alberto Silveira Freitas
Lewis Hamilton 
Heptacampeão da Fórmula 1, lamentando a morte violenta de mais um negro por causa do racismo   

Sobe 
Seleção brasileira
E não é que a seleçãozinha de Tite conseguiu fechar o ano com 100% de aproveitamento na Eliminatória da América do Sul, com 12 pontos ganhos; 4 vitórias e um saldo de 10 gols pró…

Desce
Santos
A crise política no clube é interminável e no domingo, 22,  os sócios do clube votaram o impeachment do presidente José Carlos Peres por gestão temerária entre outras coisas

Brasileirão Série A
22ª rodada
Sexta-feira, 20 de novembro
Bragantino 4 x 0 Bahia
Sábado, 21 de novembro
Flamengo 3 x 1 Coritiba
Athletico-PR 1 x 0 Santos
Goiás 1 x 0 Palmeiras
Domingo, 22 de novembro
São Paulo 1 x 1 Vasco
Ceará 2 x 2 Atlético-MG
Botafogo 1 x 2 Fortaleza
Internacional 1 x 2 Fluminense
Corinthians 0 x 0 Grêmio
Segunda-feira, 23 de novembro
Sport x Atlético-GO

Mesmo vacilando na semana – uma derrota e um empate, o Atlético-MG lidera o Campeonato Brasileiro com 39 pontos ganhos; mesma pontuação do Flamengo que é o vice-líder; o São Paulo é o 3º com 37 pontos ganhos e fechando o G4, o Internacional é o 4º colocado com 36 pontos ganhos. Na zona do rebaixamento estão o Atlético-GO em 17º com 24 pontos ganhos; o Coritiba em 18º com 20 pontos ganhos; o Botafogo é o 19º também com 20 pontos, e o Goiás é o lanterna com 15 pontos ganhos.

Série B
22ª rodada
Sexta-feira, 20 de novembro
Avaí 1 x 1 Confiança
Vitória 0 x 0 Ponte Preta
Guarani 2 x 1 Botafogo
Juventude 5 x 0 Paraná
Sampaio Corrêa 1 x 3 Chapecoense
Cruzeiro 1 x 1 Figueirense
Sábado, 21 de novembro
Oeste 2 x 1 Brasil de Pelotas
Operário 0 x 1 América-MG
CRB 2 x 1 Náutico
Cuiabá 0 x 1 CSA

No G4 da Série B, a Chapecoense lidera com 47 pontos ganhos; na vice-liderança está o América-MG com 40 pontos ganhos; o Sampaio Corrêa é o 3º com 37 pontos ganhos, mesma pontuação do Juventude que é o 4º colocado. No Z4 estão o Náutico em 17º; o Figueirense em 18º – ambos com 20 pontos ganhos; o Botafogo é o 19º com 18 pontos ganhos e o Oeste é o lanterna com 11 pontos ganhos.

Pânico
A covid-19 grassa na elite do futebol brasileiro. Na última rodada o Palmeiras com 17 jogadores infectados pelo coronavírus, padeceu contra o Goiás e perdeu o jogo no fim. Já o Atlético-MG foi para a partida contra o Ceará sem dez jogadores contaminados – no total, 26 casos confirmados, inclusive o técnico Jorge Sampaoli. Há outros casos em outros clubes e este é o resultado da minimização dos dirigentes do futebol brasileiro diante da pandemia. Mas podia ser pior se houvessem liberado torcida nos estádios. São pelo menos 54 jogadores – Palmeiras, Atlético-MG, Vasco, Coritiba, Fluminense, Santos, Fortaleza, Ceará, Corinthians e Internacional. Com tal situação, o futebol brasileiro já ia mal das pernas financeiramente, pode ver a situação piorar consideravelmente nos próximos meses.  

Cíclico
O futebol é interessante de se ver, de se jogar e de se admirar, principalmente porque jamais um time consegue ter a primazia por tanto tempo e o Flamengo está aí para provar a tese. Se ganhou quase tudo que disputou no ano passado, e pode repetir a dose neste ano, mas vai ter que jogar muita bola. Teoricamente, o motivo foi a saída do português Jorge Jesus, que devolveu o time à normalidade do futebol.

Holanda de 1974, o pior pesadelo de Mario Jorge Lobo Zagallo

Espremedor
A Holanda de Mitchels é talvez a grande revolução do futebol nos últimos quarenta anos e tal como o Brasil de 1982 não ganhou nada mas deixou uma saudade imensa por causa do vistoso futebol. A Holanda era uma máquina de jogar futebol, que triturava adversários e o único jogador que tinha posição fixa era o goleiro Jongbloed que jogava com a camisa 8. O resto jogava em qualquer posição e a bola girava por todos os lugares do campo, sempre a procura do gênio Johan Cruyff, que usava a camisa 14, coadjuvado por Wim Suurbier – 20, Wim Rijsbergen – 17, Adrianus Haan – 2, Ruud Krol – 12, Wim Jansen – 6, Johan Neeskens – 13, Wim van Hanegem – 3, Johnny Rep – 16 e Rob Rensenbrink – 15.

Fred Krueger
O Brasil de Zagallo com suas superstições ia enfrentar a Holanda em 1974 e o técnico dizia que não tinha para ninguém e citava uma bobagem qualquer envolvendo o número 13 e que a tal da Laranja Mecânica seria triturada. Só que Zagallo não sabia, ou fingia não saber é que a Holanda aterrorizava a Europa com seu futebol envolvente e que o Ajax que era a base daquela seleção era tricampeão da Champions League – 1971, 1972 e 1973, mesmo assim, o técnico brasileiro ignorou o perigo e foi para o jogo literalmente no escuro. O Brasil tomou um baile tão grande que o goleiro Leão ficou com as mãos doendo de defender tantas bolas nos primeiros 25 minutos de jogo. A Holanda botou o Brasil na roda e os 2×0 ficaram barato, principalmente porque os brasileiros se cansaram de ouvir os toques de primeira dos holandeses e não acharam a bola em momento algum. Em campo os jogadores brasileiros olhavam feio para o banco de reservas onde estava Zagallo e o fuzilavam com olhares e gestos mau humorados querendo que o tempo passasse depressa para que aquele pesadelo laranja acabasse. 

Os 4×0 ficaram baratos para a Argentina, diante do carrossel holandês

A hora do espanto
Oportunidade de ver a Holanda jogar, Zagallo teve na primeira fase quando o time laranja jogou contra o Uruguai que tinha grandes craques e rivalizava como segunda força com a Argentina na América do Sul. O jogo aconteceu no dia 15 de junho de 1974 e  placar do jogo 2×0 para a Holanda não reflete o que foi a partida. Os holandeses sufocaram os uruguaios que não entendiam o que estava acontecendo, Já a Argentina também foi atropelada pela Holanda por 4×0 e até hoje não se deu conta a começar por dez jogadores laranjas cercando um único atleta argentino (foto). A realidade é que a Holanda mostrou o que era o futebol moderno e avassalador onde os jogadores de linha não guardavam posição avançavam em bloco sobre o adversário como um leão que ataca a sua presa indefesa. Para quem quiser entender o Barcelona de Pep Guardiola deve ir ao YouTube e assistir ao compacto para ver o time que assombrou o nome e não assustou Zagallo. Até que ele mesmo descobrisse quem era a Holanda de Rinus Michels e Joan Cruyff que coincidentemente arrasou o Brasil também por 2×0.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here