FAMÍLIAS brasileiras adotam ensino domiciliar

O sistema homescholling é aplicado aos filhos

0
335
Filha única, Angelina é uma das milhares de crianças que aprendem com o homeschooling

Nota da Redação
Nesta edição e nas próximas duas semanas, o JS News vai abordar experiências educacionais entre famílias na comunidade. O homescholling que cresce cada vez mais entre famílias brasileiras. Confira as experiências de Jeff e Carla Bastos, que educam Angelina, 10 anos, a filha deles em casa. Angelina, foi para o daycare por dois anos, antes de ir a escola e estudou em escola pública até o 3rd grade, tendo sido alfabetizada no ensino público.

Quando perguntada, Angelina diz que não quer voltar para a escola tradicional

“As razões de optar pelo ensino em casa são várias. Como uma família cristã vemos o homeschooling como uma oportunidade de Deus e um chamado (a maioria das famílias que fazem homescholling são cristãs), entendemos que o homeschooling não é melhor do que a escola, mesmo porque o objetivo do mesmo não é provar nada e muito menos acabar com as escolas (como muitos pensam) mas sim, para aqueles que podem. O homeschooling é uma opção disponível de educar seu filho de uma maneira mais próxima, tomando para si a responsabilidade tanto acadêmica como moral, com o objetivo de prepara-lo melhor para os desafios quando estiverem adultos. Outra razão é que nossa filha estava tendo dificuldades na escola. No terceiro ano seu rendimento escolar começou a cair, os ensinos começaram a exigir mais dela, mas percebíamos que ela tinha dificuldade em entender, em realizar as tarefas, porque não havia compreendido o que estava sendo ensinado em sala de aula. Nos preocupamos, oramos, fomos atrás de pesquisas, relatos e minha esposa foi numa conferência em Worcester sobre homeschooling, e então ela pode ver que era uma opção tão boa quanto uma escola particular. Decidimos que homeschooling poderia ser um caminho melhor para nossa filha, minha esposa acompanharia de perto e poderia ajudá-la nas dificuldades que ela estava apresentando. Esse ano é o segundo ano dela de homeschooling (5th grade) e ainda é muito cedo para tirarmos conclusões, estamos nos adaptando a essa nova realidade, mas o saldo tem sido positivo em todos os aspectos e entendemos que está sendo a melhor opção para ela”, diz Jeff Bastos que é Diretor de Música, Ministro de Louvor e Engenheiro de Som, Carla cuida da casa.

Jeff e Carla, afirmam que as impressões são boas e levaram em conta o fato de que conhecem famílias onde os filhos já estão formados e tem suas famílias e fazem questão de fazer homeschooling com seus próprios filhos. “A visão do homeschooling é de que cada criança é especial, tem sua maneira de aprender, o seu ritmo, e não existe um ‘padrão’ e quem estiver fora é burro, não, os pais escolhem o currículo de acordo com a necessidade de seus filhos. No nosso caso escolhemos um currículo por vídeo-aula já que o inglês não é nossa primeira língua, mas conforme o progresso vamos também sentindo a necessidade de mudança numa ou outra matéria. Por exemplo, vamos precisar mudar o currículo de matemática, pois o que escolhemos não está sendo bem assimilado, então temos essa flexibilidade de buscar o que melhor se adapta a ela.  Tudo no homeschooling serve para ensino. O que mais se discute sobre o homeschooling é a socialização, o que na verdade não é um problema, mesmo porque há um conceito errado de que socialização se faz na escola, o que não é verdade, a escola é UM dos meios de socialização, existem muitos outros meios tão bom quanto”, afirma Carla. 

Além do homeschooling, Angelina tem seu grupo de amigos na igreja que a família frequenta em Marlboro, faz aulas de dança duas vezes na semana, e também um grupo de famílias homeschoolers que se encontram a cada 15 dias para que os filhos possam conhecer outras crianças no mesmo contexto e os pais incentivarem-se uns aos outros. “Fora os nossos amigos pessoais onde nossa filha se relaciona normalmente com todos. Homeschooling não é isolar, e quem pensa assim realmente não conhece a verdade sobre a modalidade”, continua Jeff.

Jeff e Carla Bastos afirmam que uma pesquisa com os resultados do SAT (exame educacional padronizado nos EUA que é aplicado a estudantes do ensino médio) de 2014 mostrou que a pontuação dos alunos de homeschooling foi maior comparado com os outros alunos. A média de alunos homeschoolers em critical reading foi 567 comparado com 497 da média dos outros. Homeschoolers tiveram 521 em matemática comparado a 513 dos outros e na escrita os homeschoolers tiveram uma média de 535 comparado com 487 dos outros, revelando então o ótimo desempenho dos homeschoolers. Ainda há pesquisas comprovando o ótimo desempenho de homeschoolers durante os anos de college e um baixo índice de desistência comparado com outros estudantes.

Para relatar a sua experiência com Angelina no homeschooling, Carla criou a página ‘Minha vida de Homeschool’ no Instagram e no Facebook onde relata um pouco das experiências dela com a filha. “Ela não gosta de publicar todos os dias porque prefere manter a privacidade do nosso dia a dia, mas aquilo que é interessante e que possa ajudar a esclarecer o assunto, ela publica para incentivar as pessoas e ajudar quem gostaria de iniciar nessa jornada também. Se quiserem mais informações podem acessar a página que ela sempre responde. Desde quando decidimos o homescholling conversamos com ela também que aceitou sem problemas, mesmo hoje quando temos aqueles dias difíceis minha esposa pergunta: ‘você quer voltar para a escola?’, sua resposta é sempre ‘não’, ela gosta de estudar em casa, não se sente diferente por estar em casa. Por ser filha única, minha esposa faz questão de sempre envolver a Angelina em atividades que tenham pessoas, amigos e outras crianças. Nossa vida no geral é agitada, então ela entra nesse ritmo com a gente. Nesse segundo ano de homescholling tem sido mais desafiador por ser o 5th grade (quem lembra da temida quinta série no Brasil – risos), mas estamos trabalhando junto com a escola (eles realizaram alguns testes com ela devido a algumas dificuldades que minha esposa detectou) e o ritmo dela para esse ano está mais devagar e avançamos conforme ela compreende o conceito, então vamos terminar o ano mais tarde provavelmente, mas isso é a vantagem do homescholling, temos essa flexibilidade de trabalhar no passo da criança”, finaliza Jeff Bastos.

Fotos: acervo pessoal

Publicado em primeira mão no JS News

Todos os direitos © reservados. Permitida a reprodução total ou parcial desde que citada a fonte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here