ENTREVISTA com o novo Cônsul-Geral do Brasil em Boston

Benedicto Fonseca Filho é diplomata de carreira

1
293
Boston é o primeiro posto consular do embaixador Benedicto Fonseca Filho
Fonseca Filho já serviu em Buenos Aires, Argentina; Tel Aviv, Israel; Washington DC, New York e na ONU

O embaixador Benedicto Fonseca Filho, novo Cônsul-Geral do Brasil em Boston, recebeu no seu gabinete Alex Colombini e o jornalista Jehozadak Pereira, respectivamente publisher e editor do JS News para uma entrevista exclusiva, que foi publicada originalmente no JS News, edição de sexta-feira, 22 de fevereiro.

Fonseca Filho é diplomata de carreira e já serviu em Buenos Aires, Argentina; Tel Aviv, Israel; Washington DC e New York atuou junto a Organização das Nações Unidas (ONU), entre outras atividades. Trabalhou no gabinete do Ministro das Relações Exteriores e foi Diretor do Departamento de Temas Científicos e Tecnológicos do Itamaraty, cargo que ocupou até dezembro do ano passado. O embaixador Benedicto Fonseca Filho é carioca, e está no carreira diplomática desde 1985 e Boston é o seu primeiro posto como cônsul-geral. Confira a seguir as suas respostas.

Qual foi a sua primeira impressão do Consulado-Geral do Brasil em Boston?
Já havia ouvido falar sobre o posto aqui em Boston e me senti muito estimulado a vir para cá e dar continuidade ao trabalho que tem sido desenvolvido a longo dos anos. Pretendo continuar o contato com a comunidade e buscar desenvolver ferramentas que possam apoiar as iniciativas presentes. Aqui tem sido feitas muitas experiências valiosas e importantes de aproximação com a comunidade e de desenvolvimento de novas parcerias com pessoas e instituições locais, que é uma característica deste posto. O que tem sido feito aqui em Boston tem servido para outros postos. Me sinto desafiado a manter o trabalho e buscar novas perspectivas ajustadas aos novos tempos. Encontrei aqui uma grande e diversificada comunidade além de ter uma equipe muito motivada, o que confirma tudo o que ouvi acerca de Boston.
Quais são os seus planos imediatos?
Tenho conversado e observado bastante o andamento dos trabalhos e tenho buscado obter um mapeamento das entidades e dos desafios que exigirão soluções diferentes e distintas. A partir daí vou propor mudanças e outras iniciativas se isto de fizer necessário. Vamos ter no mês que vem uma reunião com outros cônsules brasileiros nos Estados Unidos em Washington para avaliações e debates sobre as atividades dos postos.
Qual é ao seu ver o maior desafio?
O maior desafio é continuar atendendo uma comunidade diversificada e com necessidades muito específicas em matéria de inserção, de adaptação, de ajustes dos que optaram em migrar para cá. O Consulado quer se colocar a serviço das pessoas que optaram por viver aqui, nos seus convívios familiares e nos seus negócios e empreendimentos. Queremos ser facilitadores de todos estes processos que envolvem uma mudança de vida destas pessoas. Na nossa jurisdição temos mais de 350 mil pessoas, com um volume e uma demanda muito grande de necessidades e que requerem uma assistência consular muito presente e constante. Sem dúvida o grande desafio é poder atender a tamanha diversidade e demandas.
O senhor pretende dar continuidade as parcerias consulares?
Sim, pois foram desenvolvidas em cima das características locais e estas modalidades de parcerias evidentemente eu pretendo manter, atendendo aos eventos de feiras de educação, manifestações culturais. Queremos conciliar estas atividades com a nossa equipe de tal forma que possamos continuar servindo a comunidade naquilo que deu certo, e que abrangem os consulados itinerantes, consulados móveis e aquilo que funciona a contento. Inclusive vamos manter e desenvolver o canal do Consulado com a comunidade a partir das redes sociais, que foram iniciativas que deram muito certo e que informam e ajudam. Uma das nossas iniciativas será mapear os negócios e empreendimentos brasileiros com informações de qualidade. Estou muito satisfeito por ver tantas pessoas engajadas e buscando servir a comunidade. São todas iniciativas admiráveis.
Qual é a sua posição acerca dos despachantes? 
Cada um tem o direito de optar pelo que facilita a sua vida, inclusive contratar um despachante mas o Consulado atualmente está desenvolvendo ferramentas para permitir com o uso da internet, onde é possível acessar, se informar e que já pode chegar com tudo encaminhado. O nosso funcionamento proporciona atendimento de primeira quer seja pela internet, quer seja presencial, quer seja através das parcerias, pois foram e estão sendo criados canais para facilitar. Não podemos cercear o trabalho de ninguém, e como eu disse, as pessoas têm o direito de escolher a opção que melhor as atenda. Devo ressaltar que as parcerias diminuíram em 30% o fluxo das pessoas no Consulado, o que não significa que os trabalhos internos não tenham que ser feitos diariamente e que demanda o esforço da nossa equipe. 
Qual é sua mensagem para a comunidade brasileira?
Que estamos a disposição da comunidade brasileira e que continuaremos a defender os interesses dos nossos cidadãos. Nossas portas estarão sempre abertas para atender as necessidades e anseios de todos os brasileiros e encontrar novas fórmulas e outras maneiras de atuação. Quero deixar bem claro que o Consulado continuará sendo um parceiro dos brasileiros que estão aqui além de ser uma frente avançada para ajudar e atuar para que cada vez mais melhorias possam chegar nas vidas das pessoas, essa é a nossa proposta, o nosso mandato para estar aqui e é o que motiva não só a mim, mas a toda a equipe que trabalha aqui. Reitero que estamos de portas abertas para servir a toda a comunidade brasileira.

Fotos: Jehozadak Pereira

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here