ENSINO domiciliar: a boa opção de muitas famílias

Famílias brasileiras adotam o homeschooling para a educação dos seus filhos

0
328
1º dia de escola em 2018 da família Frade: Julia, Daniel, Lucas, Thomas, Marcus Paulo, Maria Paula e Maria Stella

NOTA DA REDAÇÃO
Nesta edição o JS News publica a segunda reportagem sobre as experiências educacionais entre famílias na comunidade. O homeschooling que cresce cada vez mais entre famílias brasileiras. Confira o depoimento da família Frade que educa os seus filhos em domicílio.

Paulo Frade que junto com a esposa Damila educam Maria Paula, 14; Julia, 12; Daniel Augusto, 10; Maria Stella, 8; Marcus Paulo, 6; Thomas, 4 e Lucas, 2 anos, é incisivo ao afirmar que as razões por optar pelo sistema homeschooling para a educação dos seus filhos é religiosa, moral e acadêmica.

Um ambiente tranquilo e apropriado ajuda na educação domiciliar. Na foto estão Julia, Maria Paula, Marcus Paulo e Maria Stella

“Nós como pais, temos a obrigação de dar uma formação completa aos nossos filhos, tanto moral como intelectual e física. Ou seja, uma formação como um todo, mente, corpo e alma, à imagem de Deus. Os pais, como bem afirma o catecismo da Igreja Católica, têm o dever de amar, cuidar e alimentar seus filhos, de prover à sua educação religiosa e civil, de dar-lhes o bom exemplo, de afastá-los das ocasiões de pecado, de corrigi-los nas suas faltas, e de auxiliá-los a abraçar o estado para o qual são chamados por Deus. Infelizmente, vivemos numa cultura fortemente influenciada pela ditadura do relativismo, onde fica cada vez mais difícil para os pais encontrarem uma escola tanto pública quanto privada, que ofereça uma formação integral aos filhos. Encontramos no homeschooling todas as ferramentas necessárias para cumprir o nosso dever de pais. No homeschooling, crianças trabalham em seu próprio nível e não em um nível estipulado pela escola. Portanto, o currículo de cada curso pode ser criado em torno do nível real da criança. Esta vantagem prevê um progresso real e assegura o sucesso. Essa flexibilidade é um fator muito importante. Se a criança está muito interessada em aprender uma lição específica, ela não tem que parar tudo porque o sino tocou. Se o aluno termina uma determinada lição de uma disciplina e quer trabalhar na próxima lição, ele não será impedido de fazê-lo. Por outro lado, se a criança tiver dificuldade de dominar um conceito, no homeschooling podemos investir mais tempo no ensino da matéria que o aluno está tendo mais dificuldade. Graças a isso, quando comparamos com o currículo das escolas públicas, os nosso filhos estão consideravelmente adiantados em várias disciplinas. Isso não é de surpreender, já que inúmeros estudos comprovam a correlação entre classes pequenas e o desempenho acadêmico dos alunos”, diz Paulo Frade.

No sistema homeschooling, a disciplina é a base de tudo e Paulo Frade explica a divisão de tarefas na arte de ensinar e educar os filhos. “A minha esposa, Damila, está encarregada de ensinar às crianças. Isso não quer dizer que a responsabilidade do ensino é exclusivamente dela. Quando chego em casa, sempre pergunto para os filhos como foi o dia de aula. Peço a eles que me expliquem o que aprenderam naquele dia e ajudo na correção de algumas lições. Procuro também saber da minha esposa como foi o comportamento durante a aula, para me certificar que a formação moral e disciplinar está tendo o mesmo rendimento que a formação acadêmica. Conhecemos famílias onde a mãe trabalha fora e o pai ensina os filhos. E ainda outra família, onde certas matérias são ensinadas pela mãe e outras pelo pai. É realmente um trabalho em comum, onde ambos trabalham em conjunto de acordo com a realidade de cada família’, continua.

Maria Paula, 14 anos, a primogênita da família Frade

Adepto do homeschooling, Paulo Frade se dispõe a compartilhar a experiência com outras famílias, e se disponibiliza para compartilhar e dividir conhecimento com quem quiser saber mais sobre o assunto. “Um desafio que os pais geralmente enfrentam é a insegurança. Muitos pais por causa do nível de estudo, pensam não ser possível optar pelo homeschooling. Tanto eu quanto a minha esposa temos um bacharel, mas o homeschooling não exige um diploma.  Nem mesmo o estado exige uma qualificação específica para os pais educarem seus filhos em casa. O material que conhecemos é tão bom, que faz com que qualquer um possa ensinar as disciplinas. Nossos filhos, por exemplo, são matriculados no Seton Home Study School, uma escola credenciada com o Departamento de Educação dos EUA, que além de ter uma excelente estrutura, oferece tanto aos pais quanto aos alunos, acesso irrestrito a conselheiros para qualquer dúvida pertinente ao currículo ou qualquer matéria. Frequentemente nos perguntam se não tememos estar superprotegendo os nossos filhos. Respondemos quase sempre com a seguinte analogia: quando queremos plantar plantas frutíferas, nós não simplesmente jogamos as sementes no solo. É necessário cultivá-las com cuidado em um pote, controlar a luz, água, temperatura, etc. Quando as raízes estão profundas, aí sim as plantamos no jardim para que elas possam suportar os elementos exteriores como o vento, a chuva e o sol forte. Tomando esses devidos cuidados, a tendência dessas plantas é dar bons frutos. Assim também é com os filhos e o homeschooling”, conclui Paulo, que afirma que o custo para uma criança varia entre US$ 510 e US$ 770 por ano dependendo da série, incluindo os livros e todo o suporte necessário para os pais e alunos. O custo em média para um estudante de escola pública é cerca de US$ 14 mil anualmente.

Alguns links onde é possível saber mais sobre o homeschooling.
Home School Legal Defense Association (HSLDA) para obter mais informações em Massachusetts clique aqui.

No portal do Homeschooling Brasil, é possível encontrar explicações detalhadas em português sobre o ensino domiciliar e de que forma aplicá-lo aos filhos, para acessar as informações clique aqui.

O Seton Home Study School é uma escola credenciada que ajuda pais em idade escolar oferecendo um currículo academicamente excelente e autenticamente católico. Para acessar o site do Seton clique aqui.

Para as famílias evangélicas que querem ter opções de homescholing para seus filhos, clique aqui.

Quem desejar fazer contato com Paulo Frade deve enviar um e-mail para: paulogfrade@gmail.com

Fotos: acervo pessoal. Foto de compartilhamento: meramente ilustrativa

Publicado em primeira mão no JS News

Todos os direitos © reservados. Permitida a reprodução total ou parcial desde que citada a fonte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here