CONTÁGIO por Doenças sexualmente transmissíveis (DST)

Prevenção e cuidados médicos são necessários em casos de DST/HIV

0
4032

Uma das grandes preocupações de milhões de pessoas todos os dias são as doenças sexualmente transmissíveis, que em alguns lugares têm a conotação de epidemia e de calamidade pública. A lista de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), apesar das mais conhecidas serem a gonorréia, HIV e hepatite C, são causadas por fungos, bactérias, vírus e parasitas, que manifestam bolhas, corrimentos e feridas, que se não forem tratadas logo, podem acarretar um futuro aborto, complicações na gravidez, infertilidade, e vários tipos de câncer – na boca, garganta, pênis, ânus e vagina.

As DST se transmitem, principalmente, através das relações sexuais sem o uso de preservativo com uma pessoa que esteja infectada, e geralmente se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas.

As DST – Sexually transmitted disease (STD) – na terminologia em inglês, são um caso sério, que colocam a sociedade em risco, por serem muitas vezes transmitida por negligência e muitas pessoas que são contaminadas não sabem de sua situação, tornando o caso ainda mais crítico, por espalhar DST de forma inconsciente.

Algumas DST podem não apresentar sintomas, tanto no homem quanto na mulher. E isso requer que, se fizerem sexo sem camisinha, procurem o serviço de saúde para consultas com um profissional de saúde periodicamente. Essas doenças quando não diagnosticadas e tratadas a tempo, podem evoluir para complicações graves, como infertilidades, câncer e até a morte.

Usar preservativos em todas as relações sexuais (oral, anal e vaginal) é o método mais eficaz para a redução do risco de transmissão das DST, em especial do vírus da Aids, o HIV. Outra forma de infecção pode ocorrer pela transfusão de sangue contaminado ou pelo compartilhamento de seringas e agulhas, principalmente no uso de drogas injetáveis. A Aids e a sífilis também podem ser transmitidas da mãe infectada, sem tratamento, para o bebê durante a gravidez, o parto. E, no caso da Aids, também na amamentação.

O tratamento das DST melhora a qualidade de vida do paciente e interrompe a cadeia de transmissão dessas doenças. Na comunidade brasileira em Massachusetts é possível obter ajuda, auxílio e orientação na Massachusetts Alliance of Portuguese Speakers (MAPS), oferece assistência profissional para pessoas que convivem com o HIV. O Programa de Prevenção de HIV/DST da MAPS é financiado pelo Departamento de Saúde Pública de Massachusetts (DPH), pelo Centro Federal de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e pela Comissão de Saúde Pública de Boston (BPHC).

Para saber mais sobre o HIV/DST e do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) clique aqui.

São consideradas doenças sexualmente transmissíveis:
– Aids
– Cancro mole
– Clamídia e Gonorreia
– Condiloma acuminado (DIP)
– Donovanose
– Hepatites virais
– Herpes
– Infecção pelo vírus T-linfotrópico (HTLV)
– Linfogranuloma venéreo
– Sífilis
– Tricomoníase

Diante de uma DST lembre-se
– A associação de mais de uma DST é muito freqüente, devendo o paciente procurar o seu médico para investigar devidamente esta possibilidade – associação entre Sífilis, Clamídia, HIV;
– O tratamento deve ser sempre concluído e durante o mesmo as relações sexuais devem ser interrompidas, mesmo se os sintomas ou sinais tiverem desaparecido;
– O tratamento deve ser sempre iniciado o mais precocemente possível para evitar-se as complicações. Voltando a ter problemas genitais, o paciente deve sempre retornar ao seu médico;
– Mesmo após a cura, deve-se usar preservativo em todas as relações sexuais ou adotar outras formas de sexo mais seguro;
– Os parceiros(as) sexuais do portador de DST devem ser convocados e comunicados, para que possam ser atendidos e tratados, atividade fundamental para se romper a cadeia de transmissão e para evitar que o paciente se reinfecte;
– As dificuldades no controle das DSTs são devidas à freqüente ausência de sintomas em boa parte dos indivíduos afetados, que apesar disso atuam como transmissores dos microorganismos. Além disso, a pouca conscientização da população em relação a práticas sexuais saudáveis contribui para a perpetuação da transmissão.

Imagens meramente ilustrativas

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here