Comilança e os excessos natalinos

0
267

Pernil, peru, frango assado, farofa, salada de maionese, feijão tropeiro, salpicão de frango e de sobremesa pudim de leite condensado e rabanada. A tudo isto junte-se refrigerante, vinho, cerveja ou um espumante qualquer, e o resultado são algumas libras a mais na balança, já que as calorias vem para ficar – quase – definitivamente. Frutas e água são olimpicamente ignoradas.

Para muita gente comer – de tudo e em grandes quantidades – é o que há de melhor, e o que não falta nestas horas é um providencial convite para comer na casa de alguém, convite que logicamente nunca é recusado.

Com a correria do ano todo, quase ninguém tem tempo de pensar numa alimentação adequada e balanceada, e se pergunta o que comer? É a indagação de muita gente, principalmente aqui na América, onde o tempo é curto e a pressa acaba por impor um ritmo alucinante onde não sobra tempo para nada, quanto mais se alimentar adequadamente. Hoje, qualquer alimento tem vitaminas e aditivos químicos em excesso – não que isto seja um prejuízo – que por um lado fortalecem o corpo, mas deixam o indivíduo suscetível a alguns males.

Logo, quem passou o ano todo comendo mal, no fim do ano se excede, se esbalda e se empanturra sem culpa alguma. Afinal não é tudo festa?

Isto dá a alguns o salvo-conduto para abusar em todos os aspectos. Inclusive da bebida. Embora a legislação americana seja rígida na questão da bebida, o abuso do álcool é grande e todo ano muitos acidentes acontecem por causa de motoristas embriagados, especialmente no fim de ano, onde o consumo da bebida aumenta de modo considerável.

E as confusões que acontecem nas festas? Geralmente é com algum bêbado chato de plantão, sempre pronto para atazanar a vida de quem não bebe e só quer um pouco de paz e se confraternizar a vontade.

Foi por causa de um amigo bêbado, que Amarildo perdeu amigos de longa data. No Natal de 2008, Amarildo fora convidado para ir cear na casa de uns amigos da sua cidade, e como estava de olho em Regina – prima dos seus amigos, se arrumou todo , comprou um presente e cometeu o erro de convidar para ir junto com ele, o Sebastião, seu companheiro de trabalho.

Só que ele não sabia que o Sebastião gostava de bebida e quando bebia ficava valente e inconveniente. E foi exatamente o que aconteceu. Sebastião bebeu todas as que podia beber, mexeu com a mãe e as irmãs dos anfitriões de Amarildo, e ai a situação saiu de controle de todos que avançaram no bêbado e deram uma surra nele. Alguém que viu a gritaria e barulho chamou a polícia e lá se foram todos presos.

Um dos amigos de Amarildo, tinha carta de deportação e foi mandado embora para o Brasil. A culpa caiu toda em cima dele, que só queria conhecer melhor Regina, ao mesmo tempo em que não queria deixar sozinho o colega Sebastião. Ainda hoje ele se sente culpado. Desde então ele passa os finais de ano sozinho.

Já no caso dos excessos culinários quem mais sofre é o fígado, e como diz o bem-humorado e escrachado José Simão – colunista da Folha de São Paulo – o ideal seria ter um fígado auto-limpante, para facilitar a digestão de tantos e variados acepipes.

Na realidade o que se ressente mesmo é o estômago, e para este mal se recorre aos famosos efervescentes, que trazem um alívio imediato, já que o bicarbonato de sódio presentes em muitos deles dilui a gordura ao mesmo tempo que ataca as paredes estomacais.

De qualquer modo – tirando a bebida – todos os excessos, inclusive a gula natalina será perdoado. Pelo menos até o ano-novo…

Conselhos úteis
Opte por uma ceia alternativa
– Em vez de pernil, coma bacalhau;
– No lugar do salpicão, uma salada verde;
– Peru? Que tal um peito de frango grelhado?
– Uma boa sopa de legumes no lugar do feijão tropeiro;
– Uma salada de macarrão em vez daquela farofa rica em tudo o que você gosta – linguiça, bacon, fígado de galinha, ovo, etc, etc, etc…

Uma boa opção é a culinária japonesa, com peixes, algas, molhos. Legumes e vegetais. Deixe o saquê de fora, que é forte demais.

Rabanada? Tem abacaxi, laranja, uva, e se você não consegue ficar sem comer doce, opte pelo musse de maracujá ou de manga. Há ainda doces dietéticos, com gosto quase igual aos doces comuns.

Cerveja? Vinho? Pinga? Água mineral ou de coco, limonada, suco de laranja e isotônicos.

O seu fígado, o seu estômago e a sua balança irão agradecer…

Imagens meramente ilustrativas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here