CATARINENSE ofende nordestinos por causa da política

Marchello Colares Ferreira é o reflexo da intolerância e desrespeito que marcou a campanha presidencial

0
152
Intolerância e ofensas a quem pensa diferente, marcam o comportamento do catarinense
Marchello Colares Ferreira e sua opção política

O catarinense Marchello Colares Ferreira, é o que se pode chamar de verdadeiro devoto do presidente eleito da república no domingo, 28. Marchello é o que também se pode nominar de ouvinte profissional do rádio brasileiro em Massachusetts, e é daqueles que fazem questão de mandar fotos dos programas que ouve para os programadores e na última campanha eleitoral alinhou-se com quem votou e apoiou o candidato do PSL. Marchello mora na região do South Shore de Massachusetts.

No entanto, Marchello não perdoou quem considerava inimigo, e ofendeu pesadamente o jornalista Jehozadak Pereira, titular deste blog e co-apresentador do programa Nova Voz do Brasil, que vai ao ar pela WLYN 1360 AM.

“Marchello colocou na cabeça que eu sou comunista, esquerdista e petista e para ele isto é imperdoável, mesmo que em momento algum eu tenha declarado meu voto, e justo eu que sempre fui um ferrenho opositor do PT, do petismo e da esquerda. Nós últimos meses, não houve um dia sequer em que o Marchello não tivesse me ofendido pesadamente com palavras, com insultos e com impropérios, por causa das minhas críticas, opiniões e observações ao presidente eleito, o que para ele é considerado um insulto. As ofensas se repetiam diariamente em mensagens enviadas para o número de WhatsApp que mantemos para o programa. Na segunda e terça-feira após a eleição, Marchello resolveu que tinha que acertar contas comigo e novamente me ofendeu pesadamente, sem se dar conta de que eu cuido do WhatsApp. Ou seja, ele achou que estava se dirigindo ao número da própria emissora e que eu não tivesse acesso às mensagens”, diz Jehozadak.

Insatisfeito com tudo, Marchello Colares Ferreira que é de Sombrio, Santa Catarina, conforme consta no seu perfil em uma rede social, resolveu ofender os nordestinos que teriam votado contra o presidente eleito. Em um português sofrível, Colares Ferreira mandou a mensagem racista, preconceituosa, indecorosa, xenófoba e indecente contra gente honesta, que ao ver dele não passa de um monte de ‘vagabundos’. “Chupa nordestinos trab (?) cabo a teta”. Para Marchello Colares Ferreira, ser nordestino é ‘mamar na teta do governo’, talvez referindo-se ao benefício do bolsa-família.

Inquirido por Jehozadak Pereira na quarta-feira, 31, em uma conversa telefônica Marchello referiu-se aos nordestinos como ‘parasitas e vagabundos’, e que a ‘mamata’ deles acabou com o novo presidente.

“Marchello é o reflexo do fanático-devoto que é capaz de tudo para defender o seu ponto de vista atrasado, fanatizado, imoral e vergonhoso. Ele pode ter a preferência política que quiser, mas deve respeitar quem pensa e vota diferentemente dele, mas é o tipo que se acha acima do bem e do mal, que não hesita um instante em ofender pesadamente quem não pensa como ele. E o pior é que ele não é o único”, finaliza Jehozadak Pereira.

Questionado, Marchello ameaçou retaliar Jehozadak caso publicasse a história da sua discriminação contra o povo nordestino. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here