Brigas e confusões nas redes sociais, o campo de batalha dos insensatos

0
42

Sidney Costa e Nair Rocha são brasileiros, ele de Goiás e ela de Santa Catarina, não se conhecem e moram em estados diferentes nos Estados Unidos. Em comum eles têm alguns amigos e fazem parte de alguns grupos e bazares nas redes sociais, principalmente aqueles que tem como integrantes brasileiros de diversos lugares.

Porém, o destino deles se cruzou a partir da campanha eleitoral no ano passado e eles se agrediram verbalmente por causa de Hillary Clinton e Donald Trump. Sidney é residente permanente e ainda não vota. Nair é cidadã há mais de 15 anos e é eleitora dos republicanos. Um dia em uma postagem de Nair na página de uma amiga em comum dos dois, Sidney fez uma crítica e desencadeou uma reação feroz de Nair.

Em poucos instantes a coisa desandou de tal modo que a amiga de ambos não teve outra alternativa a não ser deletar o post e ficar dias sem postar ou responder quem a procurou. “Não tinha a ver com a briga e acabei envolvida de tal forma que fiquei doente de cama”, diz a brasileira que não quer se identificar.

O blog ouviu Sidney e Nair com o compromisso de não revelar seus nomes e as cidades onde moram. “O comentário na postagem da Nair que fiz foi acerca de como um imigrante pode apoiar um homem como o Trump que parece ter ódio de imigrantes em geral. Foi o suficiente para ser xingado por ela que me destratou e me ofendeu. Claro que não concordei e retruquei no mesmo tom. Aí virou baixaria total. O assunto foi parar até na minha comunidade católica onde ajudo na eucaristia. Eu tenho noção que que exagerei em algumas palavras e fui pesadamente ofendido a começar dela dizer que eu devia ser um morto de fome e um imigrante indocumentado que veio pelo México, o que não é verdade e também não é ofensivo para quem está nesta situação. A Nair me escreveu depois querendo conversar, mas recusei e entreguei todas as coisas que ela me escreveu a um advogado e estou analisando se vou ou não abrir um processo contra ela. Não quero nem papo”, disse Sidney.

“Lendo depois o que escrevi, me surpreendi porque não me reconheci naquilo ali. Inclusive procurei o Sidney para conversar e enviei um e-mail para ele e não obtive resposta. Mas ele também me ofendeu com palavras fortes e palavrões. Que lições eu tirei deste episódio? Que as redes sociais são um campo de batalha onde cada um defende o seu ponto de vista, as vezes com exagero, como foi o que aconteceu comigo. Eu publiquei meus pensamentos em diversas comunidades e fui ofendida muitas vezes e o Sidney acabou pagando pelo que não fez. Aquele dia estava sendo particularmente difícil e despejei em cima dele toda a minha frustração e raiva. Meu marido depois me chamou a atenção do quanto eu havia exagerado, mas quando vi já tinha feito o que fiz. Soube que ele quer me processar, o que é um direito dele, mas gostaria de que ele me perdoasse quando ler o que estou falando aqui, mas isto é um problema dele. Depois daquele episódio, nunca mais interagi com ninguém e deixei de postar qualquer coisa. Sei que as pessoas não entendem tudo o que escrevemos ou falamos, mas fazer o que? Nem todos têm a educação, a classe e a sabedoria de discutir assuntos diversos e o que lamento mesmo é que aquilo que tinha tudo para ser uma discussão sadia, descambou para uma baixaria, da qual e da minha parte lamento muito”, afirmou Nair.

Nem sempre é assim, e o que se vê na maioria das vezes são pessoas que se conhecem ou não se digladiando nas redes sociais por motivos banais ou mesmo porque expressam suas opiniões diante de milhares de desconhecidos que estão sempre ávidos para soltar os seus maus bofes, preconceitos, ideias e ideais políticos, religiosos, morais, convicções pessoais sem se dar conta de que ultrapassam limites e até leis.

As redes sociais, principalmente o Facebook tornou-se uma imensa lavanderia no sentido figurado, onde milhões de pessoas lavam suas roupas sujas, também no sentido figurado e despejam suas frustrações como se todos fossem obrigados a tolera-los.

As redes sociais têm se tornado por vezes em um campo onde seres humanos transformam-se em bestas-feras sempre prontos a se digladiarem por qualquer motivo, não importando se tem razão ou não.

Em Massachusetts, há brasileiros que mantém perfis falsos nas redes sociais com o objetivo de ofender, criticar, xingar, destratar, injuriar e espalhar contenda de modo encoberto, porque lhes falta a coragem de mostrar a cara. São pessoas que se fazem passar por jornalistas, radialistas, donos de grupos e bazares e até pasmem, de gente que se diz líder comunitário.

Sidney e Nair são pessoas de bem que cuidam das suas respectivas famílias; são bem sucedidos no que fazem, bem quistos e respeitados nos seus círculos pessoais, mas que tiveram o infortúnio de se ofenderem mutuamente sem sequer se conhecerem pessoalmente, o que mostra a realidade do tempo perigoso e cheio de armadilhas que vivemos.

Tem também os que se expõem em demasia, inclusive com fotos sensuais e imagens chocantes, mas isto é assunto para outra postagem…

Recomendações
– Se tiver dúvidas sobre quem está te adicionando, não aceite
– Se tiver dúvidas acerca daquela pessoa que você não conhece e que te adicionou, delete-o
– Jamais justifique ter excluído, bloqueado ou não aceitado alguém que te adicionou
– O Facebook permite que se bloqueie as suas informações, fotos e postagens
– Jamais coloque em redes sociais informações pessoais
– Não mencione data de nascimento, número de documentos, endereços, relações familiares, trabalho e telefones
– Se for colocar fotos de carros e motocicletas, omita as placas
– Partilhe somente informações com quem você confia de fato
– Não exponha sua intimidade de modo algum
– Cuidado com fotos e vídeos íntimos
– Não publique fotos de crianças sem roupas ou tomando banho
– Não clique em links ou compartilhe qualquer postagem que seja ofensiva ou depreciativa
– Não xingue e nem destrate ninguém
– Respeite para ser respeitado
– Não poste spam ou propaganda do seu negócio ou profissão
– Não envie mensagens não solicitadas
– Não clique em links que te enviam. Você pode estar caindo numa armadilha
– Cuidado com as correntes e mensagens de cunho religioso ou político
– Se cansou, delete o seu perfil nas redes sociais
– Não poste e nem escreva nada do qual possa se arrepender mais tarde
– Lembre-se que por mais restrito que esteja o seu perfil, as redes sociais são sim um livro sempre aberto…

Imagem meramente ilustrativa

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here