BRASILEIROS de Massachusetts

Grandes histórias de brasileiros têm sido escritas em Massachusetts

0
1588
Orgulho de ser brasileiro em qualquer circunstância. Foto: Jehozadak Pereira

É inegável a importância da comunidade brasileira em Massachusetts e hoje é possível encontrar gente nascida no Brasil em quase todos os lugares e segmentos da sociedade local. Até no governo e na política local há brasileiros, sem contar nas ruas e não é exagero dizer que os brasileiros são quase 5% da população estadual.

De um modo ou de outro os brasileiros foram se inserindo no contexto e vão descobrindo que se New York é a entrada para o mundo, Massachusetts é a porta de entrada para a América. Isto é possível constatar já nas placas dos carros onde pode se ler um orgulhoso The Spirit of America – o Espírito da América. Foi em Plymouth que os peregrinos chegaram da Europa trazendo o Evangelho, e para celebrar as bênçãos proporcionadas tiraram um dia –Thanksgiving Day – para agradecer a Deus, data que depois foi oficializada como feriado nacional.

Casa do ex-presidente John Quincy Adams em Quincy onde foi filmado Amistad

Foi em Massachusetts que nasceram os ex-presidentes John Kennedy e George Herbert Bush, e em Quincy é possível visitar a casa onde morou o também ex-presidente John Quincy Adams, e onde foi filmado Amistad de Steven Spielberg; e por falar em filmes, Love History, foi rodado nos jardins de Harvard, e o premiado Mystic River de Clint Eastwood e Sean Penn, foi ambientado nas ruas de East Boston com a Tobin Bridge ao fundo.

Voltando aos Kennedy, é possível num dia de muito sol – ou neve – vê-los pelas ruas de Brookline, ou ainda em Hyannis e Martha’s Vineyard, no Cape Cod, lugares chiques e de mansões milionárias. Martha’s Vineyard é lugar de refúgio de muitas celebridades americanas e quem quiser ir conhecer onde foi filmado o primeiro e assustador Tubarão, é só pedir informações para qualquer motorista de táxi. Já quem quiser ir ver onde se filmou E o vento levou, tem de ir a Marlboro.

Tem a generosidade dos religiosos, com destaque para os trabalhos sociais e os centros comunitários mantidos pela comunidade católica. Aliás, o que não falta é generosidade, solidariedade e apoio na hora da necessidade de algum conterrâneo. Que o digam os bazares e grupos que são testemunhas de que o bem deve ser feito sem olhar a quem.

Não se sabe exatamente quantos são os brasileiros que moram em Massachusetts. Estima-se que sejam entre 250 mil e 300 mil, vindo principalmente da região de Governador Valadares, Ipatinga e Conselheiro Pena em Minas Gerais. Há também catarinenses, paranaenses, goianos, cariocas e nos últimos tempos muita gente de Roraima, do Acre, do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Everett Square, reduto de brasileiros

Já quem anda pela Concord Street em Framingham e estiver um pouco desatento pode imaginar estar em qualquer cidade brasileira, tamanha a quantidade de lojas, estabelecimentos, restaurantes, padarias, salões de beleza, cujos donos são brasileiros, e conseqüentemente a língua mais ouvida nestes lugares é o português. A mesma sensação pode acometer quem caminhar pela Broadway e arredores em Everett, ou em Somerville, ou em Worcester, ou em Hyannis, etc, etc, etc.

Cafe Brazil deixou saudades

Também não há como negar a importância de Allston-Brighton para a comunidade brasileira, pois muitos patrícios começaram as suas vidas e caminhadas na América por ali. E por falar em Allston-Brighton, um lugar que deixou (muitas) saudades foi o Cafe Brazil, um dos poucos lugares onde se podia comer da nossa comida com esmero, qualidade, serviço de primeira, tudo comandado com maestria por Valter Vitorino, o Valtinho. O Cafe Brazil deixou uma lacuna enorme ao encerrar as suas atividades. Lá mesmo em Allston surgiu o Café Bêlo com tantas histórias.

Predominantemente, os brasileiros – como os imigrantes de outros países – imigram para fugir de privações, dívidas, ou simplesmente para recomeçar a vida mesmo. E o caminho mais fácil é esquecer as profissões exercidas no Brasil. Logo, é possível encontrar ex-bancários trabalhando como cozinheiros, depois de passar um tempo como dish washer; ou ainda motoristas ganhando o pão de cada dia pintando paredes; costureiras tratando de cabelos, e gente de todas as profissões trabalhando como house cleaner.

Madonna Queen National Shrine, East Boston. Foto: Jehozadak Pereira

Sem contar os muitos patrícios que são donos de companhias, que vão desde empresas de construção, limpeza, oficinas mecânicas, fotógrafos, salões de beleza, informática, gráficas, jardinagem, supermercados, lojas com produtos diversos – alimentação, sapatos, roupas, agências de turismo e de passagens, etc. 

A maioria destes estabelecimentos é de gente que batalhou muito – part time, full time e over time, juntou dinheiro, economizou e fez da América o seu sonho dourado e se orgulham disto. O perfil dos brasileiros que estão em Massachusetts mudou muito ao longo dos anos. Brasileiros que enriqueceram, compraram casas, que mandam os filhos para a universidade, que são empresários importantes e que geram riqueza, empregos e desenvolvimento.

Tempos atrás vinham, trabalhavam, juntavam um dinheiro e voltavam ao Brasil. Hoje, é muito comum vir alguém primeiro e em seguida o restante da família; e quem está aqui já fala em ficar de vez, mesmo que nos últimos tempos uns e outros optem por voltar. Mas quem ficou vai aproveitar todas as oportunidades e mostrar o quanto os brasileiros de Massachusetts são empreendedores, corajosos, destemidos e prontos para enfrentar qualquer desafio por maior que seja. Muita gente boa que não tem medo de cara feia e tampouco de encarar qualquer trabalho desde que seja honesto. Gente que tem orgulho de dizer que é brasileiro e que Massachusetts é a casa – acolhedora – de nós todos…

Foto de compartilhamento: bandeira do Brasil no Citi Hall de Boston em setembro de 2012. Foto: Jehozadak Pereira/MundoYes.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here