BRASILEIRA é agredida com violência após incidente

Josiane Theodoro não entende as razões porque foi agredida com tanta violência

3
4190
Josiane Theodoro foi agredida com violência sem qualquer motivo
A brasileira sofreu fraturas no nariz, um corte na boca e lesões na face e nos olhos

O fim da noite da quinta-feira, 14, tornou-se inesquecível para a curitibana Josiane Theodoro, moradora em Lowell, Massachusetts. Por volta das 10.30 PM, ao chegar em casa depois de um intenso dia de trabalho, deparou-se com um carro travando a entrada do parking lot da casa onde mora acerca de um ano. Ao perceber que havia alguém dentro do carro, Josiane deu sinal de luz por duas vezes.

“Saiu do carro uma mulher que eu nunca havia visto na vida e me disse que dava para entrar com meu carro, só que não dava. Novamente dei sinal de farol alto e ela moveu um pouco o carro dela para a frente e mesmo assim ainda estava apertado. Tomando cuidado para não bater no carro dela e nem nos outros carros que estavam estacionados, consegui entrar e estacionar. Quando descia do meu carro, fui surpreendida pela mulher que me agrediu com violência. Ela deu joelhadas no meu rosto e como consequência das agressões quebrei o nariz em três lugares, tive um corte profundo na boca, lesões no rosto e nos olhos”, disse Josiane com exclusividade para o blog. A agressora foi identificada no report da polícia de Lowell como Olivia Carrasquillo, 24 anos

Josiane não sabe quanto tempo duraram as agressões, mas se lembra de que antes de ser agredida pela mulher, que ela colocou duas crianças dentro do carro. “As crianças saíram da casa de uns hispânicos que moram num prédio vizinho, e quando ela começou a me agredir, as pessoas saíram de dentro dos apartamentos e pediram para que ela parasse e fosse embora. Mesmo atordoada com as agressões consegui tirar fotos da placa e do carro dela e chamei a polícia que a abordou pouco depois, mas não a prendeu. Ela admitiu que me agrediu depois que foi provocada, deu a versão que lhe convinha e foi liberada. Dias depois quando fui na delegacia de polícia de Lowell, eles me disseram que tem conhecimento das coisas que ela faz e que tem passagem anterior. Fui na corte pedir uma restraining order contra ela, mas me disseram que é preciso pelo menos três incidentes para que eles concedam. Eu estou preocupada porque meu filho a viu parada no mesmo lugar dias depois”, continua. “Ela tinha uma força descomunal, parecia um homem e me bateu muito, inclusive bateu a minha cabeça contra o meu carro algumas vezes”.

Em um desabafo publicado na sua página em uma rede social, Josiane conta da sua frustração pela até agora impunidade da sua agressora. “Só espero que a justiça faca alguma coisa, ela não foi presa e nem está presa. A polícia falou com ela, ela deu a versão que ela quiz e deixaram ir. Pra mim como cidadã americana to revoltada, eu trabalho muito, pago meus impostos. Pra vir alguém arrebentar a minha cara por nada e ficar impune. Que mundo vivemos? Eu nem de casa to saindo de medo. Pedi restraining order pra ela não poder chegar perto de mim porque meu filho viu ela outro dia a noite perto da minha casa e a resposta foi que ela tem q me bater 3 vezes pro juiz me conceder . Acredita nisto? É o fim!!”. (SIC)

“Espero por justiça e que ela seja criminalizada pelo que fez, e que ninguém mais seja agredida da forma como eu fui, sem nenhum motivo. Eu tenho medo de sair de casa meu cachorro está há uma semana dentro de casa porque eu não consigo andar com ele na rua, pois estou traumatizada”, finaliza.

Fotos: acervo pessoal

Todos os direitos © reservados. Permitida a reprodução total ou parcial desde que citada a fonte.

3 COMENTÁRIOS

  1. Temos que testemunhar sim estes monstros, já fiquei sabendo de muitos casos assim por aí, normalmente contra imigrantes ou pessoas totalmente indefesas , melhor é evitar esta gente, por uma buzinada, dois adolescentes saíram do carro um dia prontos pra me agredir. Eu agora fico esperando eles desbroquear o caminho porque eles agridem e acusa agente depois.

  2. Você pode da um Sul nele. Josiane. Por dando físicos e psicológicos. Se ela não paga de um jeito pagará de outro. E pode levá-la a court também. Procura um advogado. Isso não pode ficar sem punição

  3. Tem que levar o caso ao Advogado Geral do Estado. Não pode ficar de graça, não. Se a polícia não fez o dever de casa dela, o caso deve seguir para uma instância mais alta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here