Bio-Jóia é novidade do momento em MA | Por uma causa justa

0
488

Perla e Jefferson Machado chegaram nos EUA em março do ano passado, na busca de recursos médicos que minorassem os problemas do filho Gabriel, o Biel, vítima de um erro médico ao nascer, o que lhe provocou paralisia cerebral e graves problemas de saúde. Para se manter e ajudar no tratamento de Biel, Perla comercia bio-jóias, ou eco-jóias. “A finalidade de eu estar vendendo bio-jóias é arrecadar fundos para manter os tratamentos de saúde do meu filho Gabriel, aqui nos EUA, custear moradia e necessidades básicas como a alimentação dos meus filhos e além mais, entrar no mercado americano com mercadorias diferenciadas e ecologicamente corretas, valorizando nossa arte e cultura brasileira”, diz Perla.

Bio-Jóias ou Eco-Jóias são denominadas assim porque misturam matéria-prima retiradas da natureza (de modo sustentável) com pedras preciosas ou metais, e, são confeccionadas artesanalmente. Na sua maioria, a matéria-prima retirada do ‘chão’ das florestas brasileiras tais como fibras de Buriti, fibra de Tucum, Tucumã, sementes como Jarina (conhecida como o MARFIM da Amazônia), Açaí e Paixubão, dentre outras que podem ser associadas ao ouro, prata e demais pedras preciosas.

As peças são de autoria de diversos artesãos da Amazônia brasileira, de tribos indígenas, ribeirinhos e descendentes indígenas como a famosa designer de bio-jóias amazonense Rita Prossi. Há muitos artesãos e designers de jóias espalhados pelo mundo que compram no Brasil as sementes e fibras, e as confeccionam em seus próprios países.

“Os preços médios das peças variam entre US$ 55, mas temos peças de US$ 15 como os chaveiros feitos de sementes de Jarina, e conjuntos de brinco e colar por US$ 120”, afirma Perla.

SKY_1572
Gabriel Machado, o Biel requer cuidados especiais que demandam atenção total da sua família. Foto: SCKY Art

“É muito difícil iniciar uma campanha e depender da ajuda financeira das pessoas para realizar algo em prol de um filho que necessita de condições a longo prazo, pois gera uma expectativa que muitas vezes torna-se decepcionante junto a um enorme desgaste emocional. Sem condições favoráveis para que eu trabalhe fora, pois o Gabriel requer atenção 24 horas, e, como ele não é uma criança cidadã americana, não dispomos de enfermeira para acompanha-lo, temos limitações no seguro saúde que impedem o Gabriel continuar eficazmente no seu tratamento, não recebemos ajuda financeira de ninguém a não ser esporadicamente quando alguém se sensibiliza e acaba promovendo algo para nos ajudar financeiramente naquele momento como comprar alimentação ou ajudar a pagar o aluguel por exemplo. Resumidamente não existe neste momento nenhuma campanha em prol do meu filho. Estamos vivendo sozinhos aqui em Boston e contamos mensalmente com a ajuda financeira do meu marido que está no Brasil trabalhando para o Exército brasileiro. Dependo única e exclusivamente das vendas das bio-jóias para dignamente tentar sobreviver com meus filhos na América. Eu tenho esperança de superar as expectativas através do meu trabalho de vendas. Vender para sobreviver! esse é o meu lema atual”, afirma Perla Machado.

Prestação de serviço
As peças vendidas por Perla Machado, estão expostas na 499 Medford Street em Somerville na joalheria do ourives Cleuder Morais que também é designer e faz acabamento em ouro 18K nas peças de bio-jóias de que clientes desejam. Ou diretamente com ela através do e-mail perlafmachado@hotmail.com. Para ver outras peças, clique aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here