APÓS 45 dias separados na fronteira, mãe reencontra filho em Boston

Apoio e ação do Centro do Trabalhador Brasileiro foi decisivo para a reunificação de mãe e filho

0
3493
W.R. e seu filho A.R. no reencontro no sábado, 14, em Boston, Foto: Lawyers’ Committee for Civil Rights and Economic Justice, via MassLive.com

 A brasileira identificada como W.R. reencontrou-se com seu filho de nove anos identificado como A.R., no sábado, 14 em Boston, após 45 dias de separação forçada pela prática de tolerância zero do governo federal em relação à imigração ilegal. WR e o filho chegaram aos Estados unidos em 28 de maio e após atravessarem a fronteira com o México se entregaram a um agente da Border Patrol e solicitaram asilo nos Estados Unidos.

A alegação de W.R. que é de Cuparaque, Minas Gerais, é a de que ela veio para os Estados Unidos para fugir do marido abusador, violento e também da família dele.  

Mãe e filho foram enviados para um centro de detenção no Arizona e colocados em celas separadas e de acordo com os advogados da brasileira ela podia ver seu filho que estava ‘chateado, assustado e choroso’. Em 30 de maio, o menino foi transferido e a mãe não foi informada para onde ele havia enviado.  

W.R. foi libertada no dia 20 de junho e veio morar com a família em Massachusetts, e não sabia onde estava seu filho. Uma semana depois ela descobriu que A.R. estava em um abrigo na cidade de Baytown, no Texas e se habilitou para reaver seu filho. Para tanto passou por uma entrevista com uma assistente social e respondeu diversas perguntas e recebeu a visita da funcionária do governo, para cumprir uma exigência oficial.

O contato de mãe e filho se deu através de curtos telefonemas, onde o menino perguntava quando a mãe iria busca-lo. “Não aguento mais”, dizia A.R. para a mãe, de acordo com a advogada Lucy Heenan Ewins, do escritório que representa W.R.

WR terá o seu pedido de asilo decidido por um juiz de imigração em Boston. “Ainda não terminou”, diz a brasileira, afirmando que é grata por ter seu filho de volta, ressaltando que o menino está traumatizado com a experiência e pelo tempo que ficou longe da mãe.

A separação teve fim depois que funcionários do governo embarcaram AR em um voo do Texas para o Aeroporto Internacional de Logan, onde se reencontrou com WR na tarde do sábado. “O dia de hoje, foi de vitória. Após suportar 45 dias de separação forçada e superar inúmeros obstáculos legais, a mãe e a criança finalmente se reuniram em Boston”, afirmou o advogado Ivan Espinoza Madrigal, diretor executivo do Lawyers’ Committee for Civil Rights and Economic Justice, em uma entrevista coletiva que aconteceu na segunda-feira, 16 na sede do Centro do Trabalhador Brasileiro.

O caso da brasileira e do se filho recebeu o apoio dos senadores Ed Markey e Elizabeth Warren, democratas de Massachusetts.

Staff do CTB e parte da equipe legal com W.R e A.R. Foto: divulgação

Com a demora do governo para a reunificação de mãe e filho, o Centro do Trabalhador Brasileiro trabalhou em parceria com dois grupos de advogados para resolver o problema e enfrentar uma verdadeira batalha legal com o governo federal para a liberação de AR. No sábado, funcionárias do Centro do Trabalhador Brasileiro foram ao Aeroporto Internacional de Logan para o reencontro de mãe e filho. A atuação de Natalicia Tracy, diretora executiva e de Lenita Reason, que coordena projetos de saúde e segurança do Centro do Trabalhador Brasileiro foi decisivo para a solução do caso.

Outros apoiadores de W.R. e A.R. iniciaram no GoFundMe.com uma campanha de ajuda financeira porque todas as coisas da brasileira foram jogadas fora. Quem desejar contribuir pode fazê-lo clicando aqui.

Fotos da capa e de compartilhamento: Shira Schoenberg/The Republican. Foto de compartilhamento via MassLive.com. Lenita Reason foi a interprete na entrevista coletiva

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here