AGIOTA brasileiro é investigado por lavagem de dinheiro em MG

Ramiro Afonso de Queiroz teria usado a conta da ex-mulher para lavar dinheiro

0
518
Fac-simile do processo que corre na Justiça Federal em MG
Ramiro Afonso Queiroz é investigado no Brasil por lavagem de dinheiro pela Polícia Federal

O agiota Ramiro Afonso Queiroz, o ‘Ramiro’ é muito conhecido na comunidade brasileira em Massachusetts, principalmente entre os comerciantes de carros usados e semi-novos, os ‘dealers’, já que muitos deles recorrem a Ramiro quando precisam trocar cheques ou capital de giro. “O Ramiro empresta dinheiro a juros para um monte de gente que recorre a ele quando precisa”, afirma um brasileiro que saiu do negócio de carros usados.

Ramiro Afonso Queiroz chegou aos Estados Unidos por volta do ano de 2000, vindo de Belo Horizonte de onde saiu depois que o seu negócio ‘Cerealista Ramiro Ltda’ quebrou. Ramiro nunca mais retornou ao Brasil depois disto.

Nesta ocasião Ramiro ainda era casado com Kátia Pais Queiroz França com quem tem duas filhas. Além de agiota, Ramiro Afonso Queiroz é também doleiro e fez remessas de dinheiro para a conta de Kátia Pais Queiroz França no valor de R$ 1.727.747,67 em créditos e R$ 1.615.339,93 em débitos entre maio de 2015 e fevereiro de 2016, o que fez com que ela fosse alvo de uma investigação da Polícia Federal e posteriormente indiciado pelos crimes de lavagem de dinheiro, ocultação de bens, direitos e valores. Foram registradas 1.187 lançamentos na conta corrente de Kátia Pais Queiroz França. No total passaram pela conta de Kátia Pais Queiroz França nos anos de 2013, 2014 e 2015 o valor de R$ 2.047.036,49, valores totalmente incompatíveis com a renda da ex-mulher de Ramiro, que movimentou todo este dinheiro a partir das suas atividades de doleiro.

Atualmente Kátia Pais Queiroz França vive em Belo Horizonte, Minas Gerais e está divorciada desde 2015 de Ramiro. Uma conta corrente bancária de Kátia foi usada para depósito de dinheiro.

Outras contas
Ramiro Afonso Queiroz enviou dinheiro também para Cléber Sandro Pezente, que tem um processo por tráfico internacional de arma de fogo desde 2011 em Turvo, Santa Catarina, além de um mandato de prisão vigente que foi expedido pela Comarca de Jaguaruna, Santa Catarina. O mandato contra Cléber vale até fevereiro de 2019 e ele consta como procurado pela Justiça. Cléber Sandro Pezente mora nos Estados Unidos e tem em Santa Catarina um estabelecimento que vende produtos e artefatos de arqueria.

Outra pessoa que Ramiro Afonso Queiroz enviou dinheiro foi a de Elizandra Oliveira Moura Aguiar, mulher de Rômulo Augusto Rodrigues Aguiar, ex-proprietários da SUPREME CARS, um ‘dealer’ de carros em Everett, e que quebrou em 2015, em uma rumorosa falência. Entre as contas usadas por Ramiro para depósito está a de sua irmã Romilde Eliza Queiroz Nascimento.

Uma quebra de sigilo bancário detectou que os valores entravam primeiro na conta corrente de Kátia e depois eram depositados nas contas correntes de outras pessoas. A movimentação atípica na conta corrente de Kátia Pais Queiroz França foi detectada através de relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e foram configuradas como câmbio de moeda estrangeira e evasão de divisas.

A Polícia Federal quebrou os sigilos bancários de Kátia Pais Queiroz França, Cléber Sandro Pezente, Elizandra Oliveira Moura Aguiar e Romilde Eliza Queiroz Nascimento. No total, foram enviados valores para 49 contas correntes para depósitos de dinheiro enviado por Ramiro para o Brasil. O inquérito tramitou na Superintendência Regional da Polícia Federal em Minas Gerais e corre na 4ª Vara Federal de Belo Horizonte, MG.

Depoimento
Em depoimento em março do ano passado à Polícia Federal, Kátia Pais Queiroz França afirmou que a conta corrente no Banco do Brasil fora aberta para que Ramiro enviasse dinheiro para o sustento das filhas. Sobre as remessas do ex-marido, disse que Ramiro informava os valores e que não conhecia ninguém com quem fazia transações financeiras a partir da sua conta corrente. No total Kátia é detentora de seis contas correntes bancárias, mas só uma delas é que apresentou movimentação ‘atípica’ e atenção do Coaf. 

Os valores movimentados por Ramiro Afonso Queiroz e que foram depositados na conta de passagem da sua ex-mulher Kátia Pais Queiroz França, a tornaram em uma ré por processo por lavagem de dinheiro e ocultação de bens, passível de ser condenada a uma pena de prisão.

Mesmo morando nos Estados Unidos, Ramiro Afonso Queiroz pode ser indiciado criminalmente a revelia e se for condenado a Justiça do Brasil pode pedir que os Estados Unidos o deporte para que cumpra a sua pena, do mesmo modo que todos os que usaram os serviços de doleiro dele podem ter incorrido em crimes do mesmo tipo.

Certidão distribuída pelo WhatsApp com um ‘nada consta’ em termos de condenação judicial contra Ramiro A. Queiroz

Ouvido pela reportagem, Ramiro Afonso Queiroz afirmou que é vítima de muita inveja e ciúmes e que não é processado. Pelo WhatsApp Ramiro distribuiu uma certidão da Justiça Federal onde não consta nenhuma condenação judicial contra ele, certidão cuja data foi omitida.

O processo em primeira instância em que Kátia Pais Queiroz França, a ex-mulher de Ramiro é indiciada tem o número 30025-81.2017.4.01.3800 e consiste em crimes contra o sistema financeiro nacional (Lei 7.491/86 – Crimes previstos na Legislação Nacional – de natureza penal), e onde constam todos os detalhes das acusações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here