A tocante e persistente história de Antonio Massa Viana

0
280

O The Boston Globe contou nesta semana em uma reportagem especial a tocante e emocionante história do brasileiro Antonio Massa Viana e sua batalha para conseguir sua legalização. A reportagem da jornalista Maria Sacchetti, conta que a mãe de Antonio veio para os Estados Unidos em 1962 onde se casou com um cidadão americano e com quem teve dois filhos. Ao se separar, a mulher voltou ao Brasil e teve mais dois filhos, incluindo Antonio.

Doze anos depois a família voltou aos Estados Unidos e sua mãe fez uma aplicação errada e teve de voltar para o Brasil. Quando tinha 19 anos, Antonio voltou para os Estados Unidos com a família e tentou novamente obter o green card através da sua mãe, mas já havia ultrapassado o limite de idade.

A maioria dos seus parentes são cidadãos americanos, incluindo sua mãe, Antonio tentou de todas as formas obter a sua legalização por cerca de 20 anos, mas os advogados eram unanimes e em dizer que não havia um modo de isto acontecer.

Foto 2
Antonio Massa Viana e sua família. Foto: Sergio R. Reyes

Sua esposa, uma musicista havia perdido o direito ao visto religioso e mais uma vez os advogados disseram que não podiam ajudar, e Antonio mais uma vez, pesquisando na internet achou um meio de ingressar com uma ação judicial que fez com que ela obtivesse o seu green card em 2009, contudo, como não era cidadã americana, não podia favorecer o esposo.

A situação agravou-se e em 2010, quando Antonio quis entregar-se para a Imigração, para ser levado diante de um juiz, mas os agentes recusaram-se a leva-lo sob custódia. Não conseguiu a sua tão sonhada legalização e tampouco ser deportado. Não tinha antecedentes criminais, tinha uma casa, pagava seus impostos além de ser pai de três filhos americanos.

Foi então, que Antonio decidiu estudar direito e buscar ele mesmo a solução para o seu caso, mesmo que muitas pessoas lhe dissessem que isto seria impossível. Não só se formou, como o fez com distinção e louvor, e viu todo o seu esforço ser reconhecido pela Roger Williams University em Rhode Island, onde obteve uma bolsa de estudo integral e foi um destacado estudante.

“Precisamos de bons advogados, e se fosse alguém que tivesse passado e pudesse entender o que as pessoas passam, melhor ainda”, é um das suas frase prediletas.

Obter a cátedra não foi de todo suficiente para Antonio. Ele surpreendeu os seus professores quando disse que ia prestar exames para o BAR em Rhode Island e em Massachusetts onde obteve êxito, mas mesmo aprovado não conseguiu advogar em Rhode Island até que obtivesse a residência permanente. Em Massachusetts não havia restrições e ele pode advogar já em 2014. A ironia do destino é que enquanto lutava para seus clientes, ele próprio, por uma falha do sistema não tinha um status legal.

Uma vez obtido o seu green card faltava o juramento em Rhode Island, e no dia 29 de junho, diante da esposa e dos filhos Cecilia, Francisco e Joaquim, na Suprema Corte ante o chefe da Justiça Paul A. Suttell, habilitou-se finalmente a advogar no estado.

“Às vezes, a criatividade faz a brecha, mudando uma interpretação legal de um regulamento, ou permitindo uma mudança na lei que venha a beneficiar outras pessoas. Este foi o caso de minha esposa, por exemplo, onde a exceção virou a regra. Como bom advogado, é necessário sempre manter olhos abertos. Mas também é importante não se iludir. Quando escuto alguém dizendo que encontrou uma brecha na lei, minha primeira reação é questionar. É importante rodear-se de pessoas que desejem seu sucesso e estejam prontas para te apoiar quando você precisa. Fazer faculdade de direito, com três filhos, trabalhando, e ainda sem status, exigiu um trabalho em grupo não só em casa, com minha esposa e filhos, mas também com os amigos que ajudaram desde o apoio moral ao babysitting. É importante também ter um objetivo claro em mente e não perdê-lo de vista, mesmo quando as coisas tornam-se difíceis. Às vezes, era uma porta fechada atrás da outra; dava vontade de desistir. Mas tentava não me queixar. Quanto mais o aperto, mais me dizia: tenho que trabalhar dobrado. E claro, sempre com fé em Deus que o esforço daria resultado. E deu”, afirma o advogado Antonio Massa Viana, com a certeza de que todo o esforço valeu a pena.

Reportagem publicada no Jornal dos Sports USA. Foto da capa: Sergio R. Reyes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here